Pacientes do Hospital Oncológico Infantil visitam Clube do Remo

A volta aos treinos depois da vitória contra o Sobradinho-DF, o que rendeu a classificação do Clube do Remo para as quartas de final da Copa Verde, foi marcada pela presença de um grupo de crianças que fazem tratamento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, e que tem um objetivo comum aos dos jogadores: vencer, mas um outro adversário – o câncer.

Um jogo que a jovem Maria Maykelle, de 14 anos, tem conquistado vitórias. Natural de Capanema, no nordeste do Estado, ela superou um tumor no sistema nervoso central e com um acompanhamento contínuo feito pela equipe do Hospital gerenciado pela Pró-Saúde, ela vive a expectativa de poder voltar a fazer o que mais gostava aos poucos.

“Essa semana tenho uma consulta. Espero que a médica me libere para participar dos jogos escolares no mês que vem, nem que seja para ficar no banco de reservas e sem jogar”, conta a adolescente.

Além do Clube do Remo, as crianças e adolescentes ainda vão visitar os estádios de Paysandu e Tuna. O ‘tour’ pelos estádios dos principais clubes de futebol da capital faz parte de um projeto do Oncológico Infantil que busca proporcionar experiências que possam influenciar positivamente no tratamento.

“Embora esteja enfrentando um tratamento difícil e que os afasta de algumas realidades, não podemos esquecer que são crianças e que elas precisam viver a infância e realizar sonhos, como visitar um estádio, conhecer jogadores. Tudo isso é importante para eles”, destaca Tirza Ferreira, supervisora de Humanização na unidade.

Para o volante azulino Yuri Naves, que viveu de perto a luta contra o câncer na família, a visita das crianças é uma motivação a mais para a equipe.

“Foram três anos acompanhando minha filha na luta contra um câncer. Sou uma prova viva dessa luta que se vence com muita fé e amor”, contou o jogador que falou ainda sobre como vai levar a alegria do encontro para o jogo do próximo domingo (25), pela última rodada do Campeonato Brasileiro da Série C e justamente com o maior rival, o Paysandu.

“Nesse momento decisivo para nós, vamos pegar toda essa energia positiva dessas crianças, colocar em campo para poder dar alegria a todo mundo no domingo”, concluiu o jogador.

As visitas aos estádios Paysandu e da Tuna estão previamente agendadas para a próxima semana, aguardando apenas a definição da agenda e horários dos treinamentos.
O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade pública de saúde e referência para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil. A unidade atende cerca de 900 crianças de municípios do Pará e de estados vizinhos, como o Amapá. Em três anos foram mais de 800 mil atendimentos realizados, entre eles 87.384 sessões de quimioterapia e 41.049 consultas, com um índice de aprovação atual de 98% dos usuários.