O importante papel social do voluntário em unidades de saúde

A atividade voluntária surgiu no Brasil por meio das organizações religiosas cristãs ainda no século XVI. Além da solidariedade, ser voluntário em uma unidade de saúde é se integrar com a própria comunidade

Nesta quarta-feira, 28 de agosto, é celebrado o Dia Nacional do Voluntariado. A data reforça a importância da solidariedade e como a dedicação em benefício de outras pessoas é fundamental em áreas como a saúde.

Nos hospitais, o voluntário compartilha e ouve histórias. A sua atuação pode aliviar dores com sorrisos, atenção e carinho, gerando experiências sociais e solidárias a todos os envolvidos.

Consciente da importância desta atividade, a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, uma das maiores instituições filantrópicas do País, propôs a formalização desta atuação. Criado oficialmente em 2016, a entidade conta com o Programa de Voluntariado, que padroniza a atividade e define a atuação desses agentes da solidariedade nas unidades de saúde gerenciadas pela instituição.

Nos hospitais de atuação da entidade, em todo o território nacional, os voluntários são importantes aliados no atendimento humanizado. “O trabalho das pessoas que dedicam parte do seu tempo ao próximo está vinculado aos valores e a missão da Pró-Saúde. A atuação dos voluntários agrega ao nosso trabalho e contribui para fortalecer a humanização e a solidariedade em ambientes hospitalares”, ressalta Regina Victorino, gerente Corporativa de Filantropia da Pró-Saúde.

A estrutura do Programa de Voluntariado assegura uma atuação nas unidades de saúde, educação e assistência social, proporcionando a igual valorização e crescimento pessoal de todos os participantes e usuários, ao mesmo tempo em que promove a interação com a comunidade local.

Atualmente, cerca de 370 pessoas atuam como voluntárias nas unidades de saúde administradas pela Pró-Saúde. O Programa da entidade abrange 16 unidades e cinco estados brasileiros (veja a listagem abaixo). “Outro fator muito importante é que o voluntário integra o serviço do hospital à comunidade em que está inserido e carrega as experiências vividas para seus familiares e amigos, expandindo essa vivência e aproximando todos da unidade de saúde”, explica Regina.

No Programa, os interessados em dedicar parte do seu tempo ao próximo podem participar a partir de 16 anos – os menores de idade necessitam de autorização do responsável legal – e disponibilidade para atuar até 4 horas semanais. O voluntário precisa participar das capacitações oferecidas antes de iniciar o Programa. Os interessados podem acessar o site https://bit.ly/2Lfe8mv e preencher a ficha cadastral, ou ainda buscar informações pessoalmente na unidade de interesse.

Antes de iniciar a atividade em uma unidade de saúde, o voluntário precisa assinar o Termo de Adesão, que formaliza a atuação no local, sendo obrigatória, conforme a Lei do Voluntariado nº9.608, de 18.02.98, que regulamenta a atividade.

Mesmo com a dedicação e atenção dos profissionais de saúde, os voluntários contribuem na atenção ainda maior ao paciente, transformando a vida de outras pessoas à sua volta.

“É a primeira vez que sou voluntária e me identifiquei muito com a proposta da unidade em esclarecer o papel da doula e proporcionar à mãe a melhor experiência durante o parto humanizado. Estou feliz em ajudar”, afirma Thais Albuquerque, estudante de enfermagem e que atua como voluntária no Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan, no Estado do Pará. O papel da Thais permite auxiliar as gestantes durante o período de gestação, tornando o momento do parto ainda mais tranquilo.

Duração e campos de atuação

Na Pró-Saúde, o Programa de Voluntariado tem a duração de um ano nas unidades, que pode ser prorrogado por igual período. São dez as áreas de atuação: animadores e palhaços; apoio à brinquedoteca; apoio especializado (para aqueles que possuem certificação); contador de história; cuidados com a beleza e higiene; eventos, ações e campanhas; interação musical; oficinas; posso ajudar e visita religiosa.

As atividades de cada voluntário são previamente definidas com base em suas preferências e habilidades. Todas as ações são monitoradas com indicadores de qualidade e são supervisionadas pessoalmente em vistas técnicas realizadas regularmente, que acompanham o desenvolvimento das ações. Anualmente, a Pró-Saúde promove um encontro de Líderes de Voluntariado que permite alinhar os trabalhos e a troca de experiências entre os envolvidos na gestão da atividade.

No Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém (PA), voltado para o tratamento de crianças com câncer, a solidariedade se apresenta em diferentes ações. No caso de Iranilde Siqueira, junto com o grupo “Mãos que Ajudam”, a cada dois meses são realizadas visitas ao hospital para doar toucas de lá personalizadas para crianças.

“Em cada ponto dessas toucas tem amor, carinho e acolhimento para essas famílias. É um trabalho voluntario que fazemos com alegria, por uma só recompensa: o sorriso das crianças”, diz.

Ao todo, no grupo de Iranilde, são 15 voluntárias. A produção média é de três toucas por dia, com cores, formatos diferentes e um sentimento de amor em comum.

Em 2018, a Pró-Saúde realizou a sua adesão formal ao FONIF (Fórum Nacional da Instituições Filantrópicas), uma associação sem fins lucrativos que participa ativamente das discussões pertinentes às entidades filantrópicas, além de realizar pesquisas que demonstram a importância do trabalho dessas instituições do terceiro setor para a população brasileira.

A palavra filantropia tem origem grega e significa “amor à sociedade”, mas o trabalho das instituições filantrópicas, como é o caso da Pró-Saúde, é muito mais amplo e possui uma importante relevância social na vida de milhões de pessoas.

Unidades com atuação do Programa de Voluntariado

Unidade Município/ UF
Hospital São Luiz Cáceres/ MT
Hospital Estadual de Urgência e Emergência Vitória/ ES
Hospital Público Estadual Galileu Belém/ PA
Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência Ananindeua/ PA
Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan Barcarena/ PA
Hospital Regional do Baixo Amazonas – Dr. Waldemar Penna Santarém/ PA
Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso Marabá/ PA
Hospital Oncológico Infantil Octavio Lobo Belém/ PA
Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer Rio de Janeiro/ RJ
CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas) de Mogi das Cruzes São Paulo/ SP
UnicaFisio – Fisioterapia e Reabilitação – Mogi das Cruzes São Paulo/ SP
Centro de Educação Infantil (CEI) Jardim Eliane São Paulo/ SP
Centro de Educação Infantil (CEI) Jardim São Jorge São Paulo/ SP
Centro de Educação Infantil (CEI) Santa Rita São Paulo/ SP
Centro de Educação Infantil (CEI) Lageado São Paulo/ SP

 

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

 

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.