Crianças do Oncológico Infantil visitam estádio do Paysandu

Em contagem regressiva para os dois jogos mais importantes do ano, jogadores e comissão técnica do Paysandu têm pela frente somente um objetivo: vencer. Um desejo que foi compartilhado com um grupo de crianças que faz tratamento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, e que vive diariamente a mesma batalha, mas contra outro adversário: o câncer.

O encontro realizado na Curuzu, no final da tarde desta quarta-feira (28), faz parte de um projeto apresentado por torcedores à unidade do Governo do Estado do Pará Estado, gerenciado pela Pró-Saúde, que é referência para esse tipo de atendimento, e tem o objetivo de proporcionar experiências típicas do mundo do futebol para as crianças que estejam internadas ou em fases mais avançadas do tratamento.

Além do Paysandu, o hospital já levou as crianças ao Clube do Remo e planeja ainda uma visita ao Estádio Francisco Vasques, popularmente conhecido como ‘Souza’, da Tuna Luso Brasileira.

“Esse é um projeto importante para as crianças. Muitas são do interior e gostam de futebol e estão vivendo a infância, querem realizar sonhos. Dependendo da etapa do tratamento, orientamos que elas evitem frequentar locais com muitas pessoas, como estádios em dias de jogo, por exemplo. Mas quando eles chegam nessa fase, é o momento que podemos proporcionar essas experiências para eles”, explica Tirza Ferreira, supervisora de Humanização da unidade.

Natural do município de Palestina do Pará, no sudeste do estado, Ygor Oliveira, de 15 anos, em pouco mais de um mês de tratamento, acabou conseguindo realizar um sonho. “Não esperava que isso fosse acontecer agora. Fiquei muito feliz porque os jogadores foram muito legais eu não imaginava que fosse tudo tão grande”, conta o conta o adolescente.

Durante a visita, as crianças conheceram o gramado, sala de fisioterapia e o hotel bicolor. No encontro com os jogadores, o treinador Hélio dos Anjos, falou sobre a emoção de receber as crianças em um momento importante para os jogadores. “Foi uma tarde linda e cheia de emoção. Uma visita que valoriza todo esse trabalho e principalmente esse momento que estamos vivendo. Esperamos que eles levam toda nossa energia”, destacou o treinador.

Sobre o Hospital

Referência para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil no Pará. O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo atende atualmente cerca de 900 crianças de municípios do Pará e de estados vizinhos, como o Amapá. Em três anos foram mais de 800 mil atendimentos realizados, entre eles 87.384 sessões de quimioterapia e 41.049 consultas, com um índice de aprovação atual de 98% dos usuários.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.