Hospital Oncológico Infantil levanta bandeira da sustentabilidade para reduzir consumo de papel

“Menos branco e mais Verde”. Esse é um dos novos objetivos do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde em Belém. A unidade, que pertence ao governo do Estado e presta atendimento 100% gratuito, é referência para o diagnóstico e tratamento de crianças e adolescentes com câncer no Pará e lançou um desafio sustentável entre seus funcionários. O objetivo é reduzir o consumo de papel dentro do hospital e colaborar com meio ambiente.

A ideia do desafio surgiu da parceria entre os setores de Sustentabilidade e Tecnologia da Informação. Juntos, eles analisaram o quantitativo de impressões realizadas nos últimos meses e, com base no resultado, lançaram o desafio, juntamente com uma campanha de conscientização.

“Para a produção do papel é necessária uma matéria-prima. Hoje, a principal fonte dessa matéria está nas árvores. Fazendo a referência ao branco do papel e ao verde das árvores, com esse desafio queremos mostrar ao colaborador o quanto o uso consciente e a redução no consumo podem ajudar o meio ambiente”, explica Beatriz Garcia, analista de Sustentabilidade do Hospital Oncológico Infantil.

Com o desafio, os diferentes setores do Hospital serão estimulados a desenvolver práticas de sustentabilidade na impressão de papel. A cada mês, as melhores práticas e os resultados mais expressivos serão divulgados no “ranking mais verde”, formando uma rede de compartilhamento das boas práticas de redução no consumo de papel.

Desde o ano passado, o Hospital vem intensificando o uso de ferramentas para gerenciar e reduzir o consumo de papel. Em uma delas, as impressões foram convertidas em uma moeda virtual e, com base na necessidade de cada setor, foi reservado um valor para impressão. “Muitos colaboradores entenderam o propósito da ferramenta naquele momento e agora queremos ampliar nossos objetivos e reduzir ainda mais esses números, usando novas ferramentas”, destaca Jozadaque Silva, supervisor de Tecnologia da Informação da unidade.

Em busca de uma forma de compensar os impactos do consumo de papel nos primeiros seis meses do ano, o Hospital Oncológico Infantil doou 160 mudas de plantas (100 de árvores frutíferas e 60 de plantas ornamentais) aos seus colaboradores durante o mês de junho, um número quase três vezes maior do que a quantidade de árvores derrubadas para a produção do papel utilizado no período.

Ao longo dos próximos meses, o Hospital continuará com as campanhas de sensibilização sobre o tema para colaboradores e usuários, dentro e fora do Hospital.

Referência em oncologia pediátrica
Atualmente cerca de mil crianças e adolescentes de municípios do Pará, e de estados vizinhos como o Amapá, estão em tratamento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo. Em 2019, quando completou quatro anos, a unidade que é referência para diagnóstico e no tratamento do câncer superou a marca de um milhão de atendimentos, com um índice de aprovação atual de 98% entre seus usuários.

Ainda em 2019, o Hospital se tornou o primeiro na rede pública do país, com atendimento em oncologia pediátrica, a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência. Esse é o maior nível de reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação, entidade respeitada e com atuação nacional responsável pela avaliação dos serviços de saúde do País, destacando os melhores resultados de gestão, qualidade e segurança voltados ao paciente.

Sobre a Pró-Saúde
A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição