Setembro Dourado: Hospital Oncológico Infantil intensifica ações de orientação sobre o câncer infantojuvenil

Dois anos atrás, Edna Mcphee Almeida tomou um susto ao ver o filho, aparentemente sadio, ser diagnosticado com câncer infantojuvenil. Porém, foi por meio de um pedido do próprio filho que ela encontrou forças e motivação para superar o abatimento inicial. “Ele me pediu que ajudasse outras crianças, e isso veio para mim como uma motivação para que eu pudesse fazer um trabalho diferenciado e que, dessa forma, outras crianças tivessem a mesma chance de tratamento que o meu filho teve”, conta.

Edna se tornou voluntária da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE). O filho se recuperou da doença, porém o trabalho continuou e ela é hoje uma das pessoas que apoia o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo – que é gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) – em Belém (PA), na Campanha “Setembro Dourado”, cujo objetivo é sensibilizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil e sobre a doação de medula óssea.

O pontapé inicial da campanha aconteceu no último domingo, 10/9, na Praça da República e contou, ainda, com o apoio dos voluntários do Instituto Áster e Anjos da Esperança, Casa Ronald McDonald, Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) e Associação Amigas do Peito.

Voluntária no Hospital Oncológico Infantil, por meio do Instituo Áster, a estudante de Farmácia, Renata Carla Amaral dos Santos dedicou sua manhã de domingo ao “Setembro Dourado”. Para ela, a orientação é fundamental. “A maioria das pessoas não conhecem os sintomas, não sabem como prestar atenção, identificar. E nem conhecem a real importância do diagnóstico precoce. Com essa abordagem, as pessoas vão prestar mais atenção nas crianças e adolescentes. Sinto-me grata em ajudar e tentar abrir os olhos das famílias para esta doença. Com a informação estamos aumentando as chances e assim, mais vidas”, comentou.

A campanha “Setembro Dourado” alerta, este ano, para o fato dos sintomas do câncer infantojuvenil passarem despercebidos. Como explica a médica oncopediatra, Alayde Vieira, os sintomas podem ser confundidos com outras doenças da infância, o que dificulta o tratamento. “Quanto mais cedo o paciente chega ao centro de oncologia pediátrica, maiores são as chances de cura. Por isso, é fundamental que as pessoas conheçam os sintomas e entendam que esta doença tem cura, mas que para isso, precisa ser detectada, o que aumenta em 80% as chances de cura”, comentou a médica.

Sintomas

Os principais sintomas do câncer na infância são palidez, cansaço e indisposição; dores nos ossos e nas juntas, com ou sem inchaço, crescimento do olho, podendo estar acompanhado de mancha roxa no local; perda de peso considerável e sem justificativa; manchas roxas pelo corpo, sem ter se machucado; febre prolongada e causa não identificada; vômito acompanhado de dor de cabeça, tontura e diminuição da visão; caroço em qualquer parte do corpo, em especial na barriga, pescoço e virilha.

Campanha

Este é o segundo ano que o Hospital Oncológico Infantil faz adesão ao “Setembro Dourado”, que foi criado pela Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC para alertar quanto aos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil e a importância do diagnóstico precoce.

Alba Muniz, diretora-geral do Hospital Oncológico Infantil explica que a instituição irá romper os muros para disseminar a informação e o conhecimento sobre o câncer em crianças e jovens no seio da sociedade. “A nossa atuação no ‘Setembro Dourado’ será persuasiva. Iremos até às escolas, no período de 18 a 22/9, para falar sobre o câncer infantojuvenil e assim despertar em adolescentes e profissionais da educação, o quanto é importante estar atento a este problema. Onosso objetivo é combater o câncer por meio da informação”, comentou a diretora.

Além da sensibilização na Praça da República, haverá uma caminhada no dia 30/09.

Atendimento

Hoje, cerca de 700 pacientes fazem tratamento no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo. A unidade já é reconhecida, nacionalmente, como centro de referência para o tratamento desta doença, mesmo estando prestes a completar dois anos de funcionamento no mês de outubro.

Em 2016, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo realizou 140.931 procedimentos entre exames laboratoriais, radioterapia, tomografia, entre outros. Nos meses de janeiro a julho de 2017, a unidade já realizou 87.367 procedimentos.

Em relação às consultas, foram realizadas 8.490 consultas em 2016. Em 2017, de janeiro a julho, já foram contabilizadas 6.543 consultas. O Oncológico Infantil registrou 1.062 internações, em 2016, e 1.004 entre janeiro e julho de 2017.

Os tipos de câncer mais recorrentes entre os pacientes são leucemia e linfomas.