Oncológico Infantil investe em treinamentos e amplia qualidade da assistência

De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca), dos 12.500 mil novos casos de câncer infantojuvenil que deverão ser diagnosticados no Brasil em 2018, cerca de 1.200 mil estarão na região Norte. Os últimos estudos do Inca indicam ainda que as chances chegam a 80% quando o diagnóstico do câncer é precoce e o tratamento feito um centro especializado.

Na região Norte, onde a incidência dos novos casos será a menor em relação as demais regiões, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é a referência para o tratamento de crianças e adolescentes na faixa etária de zero a 19 anos.

Com equipe médica especializada, a unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), tem investido no treinamento de seus colaboradores para garantir mais qualidade e segurança no atendimento aos pacientes.

Para a diretora assistencial da unidade, a complexidade do tratamento oncológico pediátrico requer a preocupação e o investimento constante em capacitações. “Quando a gente proporciona treinamentos, além de capacitar nossos colaboradores, é uma ação preventiva que garante a segurança do paciente”, explicou Josieli.

Neste mês de maio, por exemplo, a unidade formou a turma de Comunicação Difícil em Saúde. Com atores profissionais contracenando com os colaboradores do Oncológico Infantil, reuniões de famílias foram recriadas para analisar a forma como as informações sobre intervenções cirúrgicas, continuidade do tratamento e até mesmo o óbito eram repassadas.

Comportamentos e discursos foram analisados e discutidos com o objetivo de construir uma comunicação mais transparente com pacientes e familiares. “Independentemente de ser a médica ou a psicóloga, no momento em que é preciso dar uma informação difícil, é a equipe de saúde que está com o paciente. Com o curso, podemos nos colocar no lugar desses pacientes e rever nosso atendimento em equipe”, explicou a psicóloga do Oncológico Infantil, Celyce Agrassar.

Além da formação em Comunicação Difícil, para o restante do mês de maio o Oncológico Infantil tem uma agenda de treinamentos semanais para assistência em oncologia, muitos deles ministrados pelos próprios colaboradores da unidade.

“Independentemente da área onde o colaborador atua, o trabalho dele influencia no atendimento ao paciente. Essa integração das equipes e o investimento em treinamentos ampliam a segurança e qualidade em nossos atendimentos, que é o que temos buscado desde o início das nossas atividades”, destacou a diretora assistencial Josieli Pinheiro.