Hospital Oncológico Infantil debate importância da Farmácia Hospitalar

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a promoção de um ambiente hospitalar cada vez mais seguro para os pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde está ligada ao cumprimento de seis metas: a Identificação Correta do Paciente; Comunicação Efetiva; Segurança dos Medicamentos de Alta Vigilância; Cirurgia Segura; Redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde; e Prevenção de Danos Decorrentes de Quedas.

Anualmente, diversas instituições de saúde promovem em todo o mundo, ações de sensibilização para o alcance desses objetivos, principalmente na saúde pública. No Estado do Pará, por exemplo, alguns dos principais hospitais públicos realizaram programações junto aos colaboradores e usuários para debater a importância da meta 3 – Segurança dos Medicamentos de Alta Vigilância.

A prescrição, uso e administração de medicamentos em pacientes foram alguns dos temas das palestras da 1ª Semana de Farmácia Hospitalar da Pró-Saúde, evento realizado com o objetivo de compartilhar as melhorias significativas nas unidades de saúde administradas pela Instituição, entre elas o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém (PA). “A ideia é destacar o potencial da Farmácia Hospitalar como um dos pilares no tratamento e na reabilitação dos pacientes”, destacou a gerente Corporativa de Atenção Farmacêutica da Pró-Saúde, Letícia Teles da Silva.

Os temas da 1ª Semana de Farmácia Hospitalar da Pró-Saúde foram escolhidos a partir do Desafio Global de Segurança do Paciente, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que projeta reduzir pela metade os danos evitáveis associados a medicamentos até 2022.

Com mais de 29 mil sessões de quimioterapia realizadas no último ano, o serviço de Farmácia faz parte do dia-a-dia das crianças e adolescentes que fazem tratamento no Hospital Oncológico Infantil, como destacou a diretora Hospitalar, Alba Muniz. “Em uma Unidade como essa, com um tratamento tão específico como o câncer infantojuvenil, o farmacêutico ganha uma importância diferenciada em relação a outros hospitais”, disse a diretora.

Para a coordenadora de Farmácia do Oncológico Infantil, Daisy Esther, a realização da 1ª Semana Farmácia Hospitalar na Unidade, além de valorizar o trabalho da equipe, foi uma oportunidade de mostrar como a integração entre setores influencia no resultado esperado pelo usuário. “Foi o primeiro evento em que apresentamos o que as farmácias vêm desenvolvendo nos hospitais ligados à Pró-Saúde. Com isso, conseguimos integrar as equipes com a troca de experiências e mostrar a importância do trabalho de cada colaborador envolvido nesse processo”, conta Daisy.