Hospital transforma crianças com câncer em auditores de segurança do paciente

O último dia de aula para as crianças que estudam na classe hospitalar instalada no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, gerenciado pela Pró-Saúde Assistência Social e Hospitalar, em Belém (PA), foi dedicado a colocar em prática todo o conhecimento que elas adquiriram ao longo do semestre sobre segurança do paciente, assunto que dividiu espaço com disciplinas obrigatórias do currículo escolar, com o objetivo de empoderar as crianças para o autocuidado no tratamento.

A aula fez parte do projeto “Heróis da Segurança”, que foi dividido em etapas e buscou desenvolver, junto às crianças, o reforço e orientações sobre os protocolos de Identificação do Paciente; Comunicação Efetiva; Administração de Medicamentos; Cirurgia Segura; Higiene das Mãos; Redução do Risco de Quedas e Redução do Risco de Lesão por Pressão.

O projeto, criado pelo Núcleo de Qualidade e Segurança e do Paciente (NQSP) do Oncológico Infantil, inicialmente trocou os livros de teoria por atividades lúdicas como a confecção de pulseiras de identificação iguais às disponibilizadas pelo Hospital, a utilização de uma caixa com luz negra e gel simulador de bactérias para higienização das mãos, além de adesivos para sinalização das áreas mais comuns de lesão por pressão e a realização de uma peça de teatro para a equipe do Centro Cirúrgico.

A professora do projeto e integrante do NQSP da unidade, Natacha Cardoso acompanhou os alunos desde o início e destacou o quanto as aulas poderão ajudar na adesão ao tratamento. “Desenvolvemos esse projeto para levar a educação em saúde para as crianças e estimular a participação delas e dos familiares no tratamento com o autocuidado. Essa interação com os profissionais da saúde contribui para uma assistência mais segura agregando valor e uma experiência favorável ao usuário”, explica.

Auditoria

Para encerrar essa primeira etapa do Projeto, as crianças foram convidadas a participar da Auditoria Interna de Riscos que o Hospital realiza semestralmente visando detectar precocemente possíveis riscos de eventos adversos e promover melhorias contínuas para a gestão e segurança do paciente.

Acompanhada dos avaliadores internos do Hospital, a jovem Isabella Christinne, de 11 anos, foi uma das auditoras mirins do Projeto. Em tratamento há sete meses contra um linfoma, ela mostrou para enfermeiros e usuários tudo o que aprendeu na sala de aula, explicando as cores de identificação do paciente, indicadores de alergia e outros protocolos. “Foi um projeto muito legal. A primeira coisa que vi foi se a identificação do paciente estava correta”, conta.

Médica do Núcleo de Qualidade do Hospital Oncológico Infantil, Erika Figueiredo, falou reforçou a importância do processo de educação em saúde, principalmente no tratamento de crianças. “A educação é uma ferramenta de transformação. Por isso apostamos nela para empoderar o paciente no autocuidado e sensibilizar os acompanhantes, que é um dos nossos objetivos com o desenvolvimento do projeto”, explica a profissional.

Sobre o Hospital

Administrado pela Pró-Saúde, por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é referência para diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil. Com atendimento público exclusivo para a oncologia pediátrica, a unidade conta com 89 leitos de internação, sendo 10 destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em três anos foram mais de 800 mil atendimentos realizados, entre eles 87.384 sessões de quimioterapia e 41.049 consultas, com um índice de aprovação atual de 98% dos usuários.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.