Hospital Oncológico valoriza experiências para alcançar alto padrão de qualidade no atendimento

Único hospital na rede pública de saúde do país com atendimento direcionado exclusivamente à oncologia pediátrica com certificação ONA 2 – Acreditado Pleno, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, busca ainda em 2019, alcançar o nível máximo do reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação – o selo ONA 3 – Acreditado com Excelência, entregue às instituições de saúde avaliadas com base na qualidade e na segurança da assistência prestada aos pacientes.

Para isso, o Hospital gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar tem investido cada vez mais em ações que possam fortalecer a integração entre funcionários e valorizar as experiências de quem atua nos diferentes turnos de atendimento do Hospital, principalmente  no turno da noite, quando a assistência é concentrada nos usuários internados ou que dão entrada na Unidade de Atendimento à Intercorrências (UAI).

Essa integração das equipes assistenciais do Hospital vem sendo ampliada com a criação do projeto ‘Corujinha’, que leva as ações de treinamento, humanização e melhoria do clima organizacional para as equipes do noturno. “O projeto busca um equilíbrio no processo de gestão, mantendo um cuidado linear e fortalecendo o clima com a integração entre os profissionais e lideranças. Desde sua implantação, a adesão tem sido satisfatória e isso nos dá a possibilidade de entregar uma assistência com mais qualidade e segurança, além de proporcionar uma melhor experiência para os usuários e colaboradores”, explica Viviane Lesses, gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP) da unidade.

Enfermeira no Hospital Oncológico Infantil há mais de 2 anos, Hellen Monteiro atualmente é uma das coordenadoras assistenciais das equipes do noturno. Para ela, a chegada do Projeto com a realização das primeiras oficinas de planejamento estratégico, identificação de riscos, gestão de processos e a extensão dos projetos de humanização e melhoria do clima organizacional, tem criado novos sentimentos de motivação para os funcionários.

“As ações que já foram realizadas trouxeram valores imensuráveis para a integração das equipes que passaram a se enxergar e entender a importância das atividades que desempenham, não só para o paciente, mas para o Hospital”, destaca Hellen Monteiro.

Sobre o Hospital Oncológico Infantil

Administrado pela Pró-Saúde por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade pública de saúde referência para diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil.

Inaugurado em 2015, o Hospital é o maior do país com atendimento público exclusivo para a oncologia pediátrica. Atualmente são 89 leitos de internação, sendo 10 destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em três anos foram mais de 800 mil atendimentos realizados, entre eles 87.384 sessões de quimioterapia e 41.049 consultas, com um índice de aprovação atual de 97% dos usuários.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.