Doação de sangue mobiliza mais de 100 voluntários no Hospital Oncológico Infantil

O amor ao próximo foi um dos sentimentos que levou o cozinheiro Wesley Pereira, de 39 anos, a transformar o dia de folga do trabalho em um ato de solidariedade para salvar vidas. Ele foi um dos 149 doadores voluntários que participaram da 5ª Campanha de Doação de Sangue e Cadastro de Medula Óssea, promovida pelo Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, nesta quinta-feira (18), em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

Com o tema “Doe sangue. Quando você doa, a brincadeira continua”, a campanha teve como objetivo abastecer os estoques de sangue do Hemopa neste mês de julho, quando há uma queda de 30% no número de doadores, em função do período de férias. “O que move o trabalho do Hemopa é a doação. Então todo parceiro que se disponibilize a ajudar esse trabalho em ações como essa, é importante para nós, principalmente nesses meses de redução no número doadores”, explica Nilvete Smith, assistente social do Hemopa.

Além de contribuir para uma segurança no fornecimento de sangue ao Hospital que é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, a campanha buscou também captar novos doadores, como o próprio Wesley. “Essa foi primeira vez que doei sangue. Sempre tive vontade, mas ainda não tinha dado certo. Senti que hoje era o dia e eu resolvi participar porque essas crianças precisam”, conta o voluntário que ainda conheceu alguns pacientes em tratamento no Hospital e agora pretende ser um doador frequente. “Sempre que tiver oportunidade vou doar. Hoje são eles que precisam, mas amanhã pode ser outra pessoa”, complementa.

Atualmente, o Hospital Oncológico Infantil realizada cerca de 400 transfusões sanguíneas por mês. Referência para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer em crianças e adolescentes no Pará, o Hospital tem nas doações de sangue uma forma de manter a saúde das crianças. “O tratamento de um câncer requer o uso de quimioterapias fortes o que reduz a defesa no organismo delas. Por isso, as transfusões sanguíneas são frequentes e o banco de sangue precisa estar sempre abastecido. Daí a importância das doações”, explica a enfermeira Sâmia Medeiros, da Agência Transfusional do Hospital Oncológico Infantil.

Dos 149 voluntários que estiveram no Hospital Oncológico Infantil, 102 estiveram aptos a doar e 39 fizeram o cadastro para doação de medula óssea, no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil.

Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.