Hospital Oncológico Infantil ultrapassa 180 mil atendimentos em 2019

 

Música, rodas de capoeira, futebol e estudos. Essa era a rotina do jovem Carlos Alexandre Silva, de 12 anos, até descobrir o diagnóstico de leucemia. Natural de Castanhal, no nordeste do Estado, há um ano e cinco meses Carlos e sua mãe, Suziane Silva, mudaram para Belém, onde vivem uma nova rotina de descobertas e vitórias com o tratamento realizado no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo (Hoiol), unidade que pertence ao governo do Estado do Pará e gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

“Cada dia que estou com ele é uma fase superada. Aqui encontramos muitas pessoas que nos ajudaram a entender tudo que envolve o tratamento, com um suporte emocional dentro e fora do hospital”, conta Suziane, que destaca também o carinho dos profissionais e voluntários com o filho e as outras crianças. “É um cuidado que vai além, que nos dá forças para a continuidade do tratamento” complementa a mãe.

Além de Carlos, cerca de 900 crianças também estão em tratamento no Hospital Oncológico Infantil, que é referência para cuidados especializados de crianças e adolescentes com câncer, atendendo usuários principalmente de municípios do Pará e de estados vizinhos como o Amapá.

Com tratamento gratuito, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o hospital fechou o mês de julho alcançando 187.184 atendimentos e 97% de aprovação dos usuários neste ano, em serviços como: sessões de quimioterapia (17.641), consultas médicas (11.525) e multiprofissionais (47.931), entre outros. Os resultados indicam, também, uma avaliação positiva para as experiências vividas pelos pacientes e acompanhantes durante as internações, o que é importante para a unidade.

“Em um hospital com perfil de tratamento oncológico para crianças e adolescentes, temos que considerar os acompanhantes também. Por isso, para irmos além da satisfação do usuário, que muitas vezes pode ser pontual, estamos buscando junto aos principais centros de saúde do país, formas de ressignificar essas jornadas vividas no hospital, seja para uma internação, medicação ou consulta”, ressalta a gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, Viviane Lesses.

Para a diretora Hospitalar do Oncológico Infantil, Alba Muniz, os números alcançados pela unidade, principalmente na manutenção da taxa de satisfação dos usuários ao longo de três anos de funcionamento, é uma representação da qualidade do trabalho da assistência realizado pelos profissionais na unidade. “É um cuidado diferente para que o tratamento e as experiências vividas sejam transformadores na vida deles também”, ressalta a diretora.

Estrutura
Com 9.503 m² de área construída, em um prédio de sete andares, atualmente, o Hoiol é um dos maiores na rede pública de saúde do país com atendimento exclusivo à oncologia pediátrica. A unidade conta com profissionais de diferentes especialidades, entre elas: pediatria, cirurgias, infectologia, ortopedia, radiologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, neurocirurgia, nefropediatria e odontologia

Atualmente, são 89 leitos de internação, sendo 10 deles destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O Centro Cirúrgico é equipado para procedimentos de baixa, média e alta complexidades, e dispõe de quatro salas e cinco leitos de Recuperação Pós-Anestésica, além de sala de indução anestésica. Na Unidade de Atendimento à Intercorrências (UAI), são seis leitos de observação, dois de emergência e um de isolamento. Na área de Quimioterapia, são 15 poltronas e oito leitos.

Sobre a Pró-Saúde
A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.