Fé e emoção marcam abertura do Círio do Hospital Oncológico Infantil

Uma das alegrias do avô e acompanhante Nazareno do Socorro foi ver o neto Felipe Souza, de 11 anos, como um dos ‘guardas’ da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Santa padroeira dos paraenses, que foi recebida pelo Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, nesta quinta-feira (3). A festividade faz parte de um calendário próprio do Hospital que tem como objetivo proporcionar aos pacientes e familiares a celebração do Círio 2019, a maior festividade religiosa do Brasil.

“Sempre tive muita fé que ele [Felipe] fosse se curar. Hoje, depois de três anos, ele está fora de tratamento. Nesse tempo todo, sempre tentei demonstrar a importância de ter fé, independentemente da religião. Estar lá, ao lado de outras crianças foi uma escolha dele, o que mostra que ele está crescendo em um caminho correto”, conta o avô.

O ‘Círio de Nossa Senhora de Nazaré’ no Hospital Oncológico Infantil acontece pelo segundo ano consecutivo com o apoio dos grupos de voluntários da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, gerenciadora da unidade, por meio de contrato de gestão com Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Assim como na primeira edição, alguns dos principais símbolos da festa oficial do Círio como a berlinda, a imagem da Santa e o manto especial em homenagem às crianças em tratamento, ficaram sob responsabilidade dos voluntários. “É um manto que além do tema do Círio deste ano, traz elementos especiais como as crianças brincando de ciranda em uma representação que vemos muitas vezes pelo Hospital. Por toda a corda da base, amarramos as tradicionais fitas do Círio e, para cada nó, há um pedido pelas crianças, famílias e colaboradores da unidade”, explica o voluntário do Hospital, Elton Sacramento.

Convidado para celebrar a missa de abertura, padre Evandro Favacho ressaltou a importância da crença e da fé durante o tratamento. “O impossível não existe para quem acredita e tem fé. Essa era uma das virtudes de Maria e, hoje temos ela, como exemplo para despertar a fé de cada criança e seus familiares”, destacou Evandro.

Além da renovação da fé, para a enfermeira Karla Luz, a realização do Círio no Hospital é também uma forma de ampliar a linha de cuidados aos usuários. “A quantidade de pessoas envolvidas na organização e realização do nosso Círio, mostra o quanto acreditamos na importância da espiritualidade e da fé para a superação das fases mais difíceis do tratamento. É um cuidado com a qualidade e que vai além, com palavras de esperança, amor e carinho para todos”, ressaltou Karla, integrante da comissão organizadora do evento.

Programação

A celebração deu início a uma série de outras atividades programadas até o final do mês, entre elas uma visita à Casa de Plácido (15/10), passagem da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré (22/10) e cerimônia de Batismo para as crianças e adolescentes em tratamento no hospital (25/10).

Sobre o Hospital

Referência para o diagnóstico e tratamento especializado do câncer infantojuvenil no Pará, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade do Governo do Estado, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

Atualmente, cerca de 900 crianças e adolescentes de municípios do Pará e de estados vizinhos, como o Amapá, estão em tratamento na unidade. Em 2019, a unidade já ultrapassou os 200 mil atendimentos, entre eles: 52.269 no serviço multiprofissional (Psicologia, Fonoaudiologia, Serviço Social, Fisioterapia e Terapia Ocupacional), 123.135 exames, 20.153 sessões de quimioterapia, 13.216 consultas, com índice de aprovação atual de 97% dos usuários.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.