Oncológico Infantil inova e assume protagonismo no combate ao câncer infantojuvenil

Com mais de 1 milhão de atendimentos em quatro anos, unidade conquistou certificação máxima de qualidade após implantar projetos pioneiros

O pequeno Adryan Loghan traz no nome uma homenagem à mãe, Adria Pimentel, e ao famoso super-herói dos filmes e histórias em quadrinhos – o Wolverine, que é imune a toxinas e tem o poder de autocura. O que os pais não esperavam era que, em apenas quatro anos, passariam a ver o filho como um herói em busca da cura contra o câncer. O menino tem um neuroblastoma, tipo de câncer que atinge células nervosas em várias partes do corpo, com maior incidência nos tecidos da glândula suprarrenal.

Além de Loghan, mais de 900 crianças são atendidas no Hospital Oncológico Infantil. O hospital oferece atendimento 100% gratuito pelo SUS e é referência para o atendimento de crianças e adolescentes com câncer nas Regiões Norte e Nordeste. Em 2019, registrou 341.440 atendimentos, com média de 97% de aprovação dos usuários no segmento de oncologia pediátrica. Somente no ano passado, foram 30.414 sessões de quimioterapia, 20.340 consultas ambulatoriais e de emergência, 207 mil exames, 76 mil atendimentos multiprofissionais e 455 cirurgias, entre elas, o procedimento de altíssima complexidade conhecido como Frozen Bone. Realizada em abril, a técnica faz uso do nitrogênio líquido em uma temperatura abaixo dos 100 graus negativos para o congelamento do osso ou a parte dele atingida pelo tumor. Foi o primeiro procedimento do tipo feito na região Norte do Brasil.

Para a mãe do pequeno Loghan, o Oncológico Infantil fez toda a diferença. “Jamais poderíamos imaginar passar por isso. Hoje, pensando na escolha do nome e no tratamento, não precisa nem ser imortal como o personagem, só esperamos a cura do nosso Loghan”. Moradores do distrito de Outeiro, em Belém (PA), a família vive a luta contra o câncer há seis meses, com tratamento realizado no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, unidade do Governo do Pará gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

Acreditado com Excelência

Foi também em 2019, que o Hospital Oncológico Infantil se tornou o primeiro na rede pública de saúde do país com atendimento dedicado a crianças e adolescentes com câncer, a conquistar a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência. Concedido pela Organização Nacional de Acreditação, uma das mais respeitadas entidades avaliadoras dos serviços de saúde do país, este é um reconhecimento ao padrão de qualidade e segurança em saúde da unidade.

Experiência do Paciente

Com números crescentes de novos casos diagnosticados por ano, o Hospital Oncológico Infantil tem ampliado as ações de promoção do bem-estar e do cuidado centrado no usuário. Foi com esse objetivo que a unidade implantou em 2019 o Escritório de Experiência do Paciente, sendo pioneiro na região Norte.

Algumas das ações realizadas ao longo ano deram a oportunidade aos pacientes internados ou com alta clínica, de receberem a visita dos ‘super-heróis’ dos grupos de cosplayers paraenses; visitarem os estádios do Remo, Paysandu e Tuna no projeto ‘Camisas pela Vida’; degustarem o açaí e a tapioca em diferentes formatos e de fortalecerem as esperanças de cura por meio da fé, com a realização do ‘Círio do Oncológico Infantil’, que levou alguns dos símbolos da festa de homenagem à padroeira do estado.

Antônia Josiane Silva descobriu o câncer do filho Antônio Artur há seis meses. Para ela, as várias ações realizadas pelo hospital têm amenizado os dias de internação e a distância da família que ficou em Salinas, no nordeste paraense. “As crianças não sabem a gravidade da doença. Nesses dias longe de casa, toda visita, projeto ou atividade no hospital, é uma forma de receber amor”, conta a mãe.

Diagnóstico precoce

A diretora do Hospital Oncológico Infantil, Alba Muniz, explica que os números de casos novos e, consequente o de atendimentos, ainda devem crescer nos próximos anos. “Os dados do Instituto Nacional do Câncer apontam para cerca de 600 novos casos por ano no Pará. Em 2019, recebemos 374 novos pacientes, o maior número desde 2015. Isso mostra que a sociedade está cada vez mais consciente sobre o câncer infantil, mas ainda é preciso falar mais sobre o assunto”, diz a diretora.

Ainda segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o número de novos casos de câncer em crianças e adolescentes deve chegar a 12,5 mil nos próximos anos. A região Norte deve apresentar o menor número de ocorrências, com 1,2 mil novos casos. Para as demais regiões, os números devem chegar a 5,3 mil no Sudeste, 2,9 mil no Nordeste, 1,8 mil no Centro-Oeste e 1,3 mil no Sul.

Para a diretora, o cenário atual reforça a necessidade de orientar constantemente a sociedade sobre diagnóstico precoce e tratamento do câncer, bem como a busca de estratégias para a garantia de uma assistência com qualidade aos usuários.

“Considerando que o câncer é uma doença ameaçadora à vida, precisamos pensar antecipadamente em como a criança e a família serão afetadas. Por isso, temos trabalhado de forma estratégica para garantir não apenas o atendimento de todos os usuários, mas também para identificar o que a criança ou acompanhante esperam dos nossos serviços. Em um tratamento longo como o do câncer, isso é fundamental”, ressalta Alba.

Números

Inaugurado em 2015, o Hospital Oncológico Infantil superou a marca de 1 milhão de atendimentos em quatro anos. Alguns dos números mais expressivos desde a abertura são: 2.099 cirurgias, 5.905 internações, 17.127 transfusões sanguíneas, 61.636 consultas ambulatoriais e de emergência, 118.069 mil sessões de quimioterapia, 329.275 atendimentos multiprofissionais (Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional) e 673 mil exames.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.