Veja como 4 dicas podem melhorar a alimentação de crianças durante o isolamento social

As orientações são da nutricionista do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo e reforçam os cuidados durante o “verão amazônico”

Se não fosse pela Covid-19 e o isolamento social, os dias com altas temperaturas, que marcam a chegada do “verão amazônico”, seriam um bom motivo para aproveitar as praias e balneários do Pará.

Mesmo com a flexibilização do uso desses espaços, é importante ficar alerta com o calor intenso. Quem optou por ficar em casa também precisa estar atento e manter um cuidado especial com a alimentação. No caso das crianças, esse cuidado ganha ainda um outro aspecto, a necessidade da hidratação.

Para Rita de Cássia Viana, nutricionista do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém (PA), a adoção de cuidados é fundamental para garantir o bem-estar dos pequenos e evitar complicações na saúde.

“A atenção deve ser diária. As crianças precisam ingerir bastante água e durante o calor essa necessidade aumenta, principalmente em casos de febre, diarreia, constipação intestinal, boca seca e pele ressecada”, explica.

Com atuação pela Pró-Saúde, entidade que gerencia o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado da Saúde do Pará (SESPA), a profissional ressalta estratégias que os pais podem utilizar com os pequenos.

“É importante manter uma garrafinha com água sempre perto da criança ou de fácil acesso na geladeira. Nos casos de dificuldade com a ingestão, a adição de frutas para aromatizar a água, como o abacaxi e a laranja, também pode ajudar”.

No caso dos pacientes do Oncológico Infantil Octávio Lobo, responsável pelo atendimento de cerca mil crianças e jovens com até 18 anos, o cuidado é o mesmo. Muitos dos jovens fazem o tratamento na unidade, mas voltam para as suas residências onde a atenção permanece.

4 dicas para melhorar a alimentação

A nutricionista explica que existem quatro dicas importantes e que auxiliam na alimentação das crianças, que devem ser observadas por todos os pais. “Seja uma criança em tratamento ou não pelo câncer, a alimentação precisa ser segura, sustentável e prazerosa. A rotina alimentar deve conter todos os grupos de alimentos, entre frutas, hortaliças, pães, cereais, massas, leguminosas, carnes e açúcares. O consumo de alimentos mais calóricos ou menos nutritivos não deve ser diária”, ressalta. Abaixo as dicas da especialista:

1 – Oferecer as frutas que a criança gosta e aproveitar as frutas que estão na safra;

2 – Durante o dia, ofereça alimentos em pequenas porções. Use pratos pequenos nas principais refeições, como almoço e jantar;

3 – Busque aproveitar integralmente o alimento usando cascas e talos. Eles também são fontes de importantes nutrientes;

4 – Crianças costumam não gostar de legumes ou verduras. Nesses casos, corte os alimentos em pedaços bem pequenos para misturar com outros alimentos. Entre os exemplos, aproveite a água do cozimento da beterraba para fazer um arroz vermelho e colocar couve nos sucos.

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo está perto de completar cinco anos. A unidade é a principal referência na região Norte para o atendimento especializado e gratuito de crianças e adolescentes com câncer. Em 2019, a unidade superou a marca de um milhão de atendimentos, com um índice de aprovação atual de 98% entre seus usuários.

No mesmo ano, se tornou o primeiro na rede pública do País, com atendimento em oncologia pediátrica, a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência. Esse é o maior nível de reconhecimento concedido pela Organização Nacional de Acreditação, entidade respeitada e com atuação nacional responsável pela avaliação dos serviços de saúde do País, destacando os melhores resultados de gestão, qualidade e segurança voltados ao paciente.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.